o que é bitcoin

O que é Bitcoin

Transcrição do vídeo abaixo

Introdução

A essa altura, todos já ouvimos falar no Bitcoin, vimos nas redes sociais e até nas mídias tradicionais, como a TV. E alguns de nós até já o usam há algum tempo, e devo dizer sem dúvida, que quem já experimentou, não pensa em voltar atrás.

Mas, o que é Bitcoin? O que o torna tão incrível e por que é considerado um divisor de águas do sistema financeiro global?

Essas são apenas algumas das perguntas que responderemos neste vídeo. Portanto, certifique-se de curtir e se inscrever, e não se esqueça de ativar o sininho para não perder nenhum novo vídeo da Odisseia Crypto. E se você é fã de verdade, participe do nosso grupo no Telegram e nos siga no Instagram, links na descrição.

Fatos interessantes

Bitcoin é uma moeda digital descentralizada. Comparado com os mecanismos tradicionais de pagamento online, ele promete oferecer taxas de transação mais baixas e, ao contrário das moedas emitidas pelo governo, que dependem do sistema bancário, sua criação, distribuição, transações e armazenamento usa um sistema de contabilidade descentralizado chamado de blockchain. O Bitcoin é chamado de criptomoeda porque usa criptografia para garantir sua segurança. Não há bitcoin físico, apenas o saldo num livro-razão público que todos podem acessar de forma transparente, que é a blockchain.

Desde o seu início, em janeiro de 2009, o Bitcoin aumentou seu valor em dólares americanos de menos de um centavo para mais de 60 mil dólares. Tornou-se a moeda legal em El Salvador. Fez mais de 100 mil novos milionários em todo o mundo, e alguns bilionários também.

Tudo isso sem nenhuma empresa ou governo apoiando. Nem mesmo um grupo ou indivíduo conhecido.

Ao contrário das moedas fiduciárias, aquelas emitidas pelos governos centrais, um Bitcoin é divisível por oito casas decimais (100 milionésimos de um bitcoin), e essa menor unidade é chamada de Satoshi. Se necessário, e se os mineradores participantes aceitarem a mudança, mais sobre o minerador mais adiante no vídeo, o Bitcoin poderá eventualmente ser divisível para ainda mais casas decimais.

Mas, antes de nos aprofundarmos em como ele conseguiu tudo isso, vamos primeiro entender por que o Bitcoin foi criado.

Porque Bitcoin foi criado

O conceito de Bitcoin surgiu pela primeira vez em 2008, como uma resposta à Grande Crise Financeira e à dependência do mundo financeiro nos bancos como intermediários de todas as transações.

A identidade da pessoa ou grupo que criou a tecnologia ainda é um mistério e o criador é referido apenas pelo misterioso pseudônimo Satoshi Nakamoto, que teve a ideia de desintermediar os bancos das transações financeiras, criando um sistema de pagamento ponto a ponto que não confie na confirmação de terceiros. Dessa forma, os bancos não precisam se envolver em todas as transações, validando-as e garantindo sua autenticidade.

Então isso significa que o Bitcoin não é seguro? Na verdade, é o contrário, é mais seguro do que qualquer coisa que veio antes dele. E aqui está o porquê.

Sistema tradicional

No sistema financeiro tradicional, sempre há um intermediário, para verificar e armazenar a riqueza e os dados dos usuários. Estou falando dos bancos e das empresas de cartão de crédito. Portanto, uma única empresa ou pessoa em que todos devemos confiar para fazer a coisa certa e não agir em benefício próprio. Não parece um risco para você? Com certeza pra mim sim! Em suma, o sistema financeiro tradicional é centralizado e os sistemas centralizados não são confiáveis, pois os participantes delegam poder a um ponto central do sistema e o autorizam a tomar e impor decisões.

Em um sistema centralizado, contanto que o terceiro centralizador possa ser confiado, o sistema funcionará como pretendido. No entanto, problemas sérios podem surgir se a entidade confiada não for confiável. Sistemas centralizados estão sujeitos a falhas de sistema, ataques ou hacks. Os dados também podem ser alterados ou manipulados pela autoridade centralizadora ou por governos sem qualquer autorização pública.

Confiamos nessas entidades para proteger e cuidar de nossa riqueza e que não farão nada de errado.

Exemplo de não-confiável

Imagine o seguinte. João e seus amigos adoram jogar Banco Imobiliário, e os amigos de João pensam que ele é um cara honesto e nunca faz mal a ninguém, então ele é confiável para ser o banqueiro do jogo.

Como eles perderam todo o dinheiro do Banco Imobiliário, eles decidiram usar um livro-razão, uma única folha de papel onde João anota todas as transações feitas no jogo, organizando tudo e mantendo o controle das finanças do jogo.

Quando Ana para em uma das propriedades de Miguel, tendo que pagar US$ 15, João escreve no livro: Ana paga a Miguel US$ 15.

E da mesma forma, quando Ana decide construir uma casa em uma de suas propriedades, João faz um novo registro no livro-razão: Ana paga ao banco US$ 150.

O sistema parece funcionar muito bem. Embora nem Ana nem Miguel tenham acesso ao livro-razão e não possam controlar o que é escrito nele, eles confiam que João fará a coisa certa.

Agora, se João decidir trapacear no jogo, ele pode adicionar uma nova entrada ao livro dizendo:

O banco paga a João $ 200. Ou sempre que João precisa pagar algum de seus amigos, ele apenas finge anotar a transação no livro-razão, mas nada é registrado. Como João é o único com acesso ao livro, ele pode alterá-lo da maneira que quiser.

O jogo Banco Imobiliário que João e seus amigos estão jogando está em um sistema centralizado e baseado em confiança.

Sistema livre de confiança

Por outro lado, o Bitcoin não depende de confiança, pois é verificável e descentralizado. Não existe uma única pessoa que possua todas as informações e lide com todas as transações.

Todas as transações de Bitcoin são verificadas por uma enorme quantidade de poder de computação por meio de um processo conhecido como mineração. O Bitcoin não é emitido ou apoiado por nenhum banco ou governo. Apesar de não ser moeda legal na maior parte do mundo, o Bitcoin é muito popular e desencadeou o lançamento de milhares de outras criptomoedas, coletivamente chamadas de altcoins.

E por falar em altcoins, uma ótima maneira de trocar criptomoeda por criptomoeda é usando a Coinvertlly. Coinvertlly é uma Exchange de criptomoedas sem custódia, o que significa que você controla suas chaves, onde pode facilmente trocar suas moedas por outras moedas sem precisar criar uma conta ou registrar nada, o processo é totalmente anônimo. Tudo o que você precisa fazer é visitar o Coinvertlly.com, selecionar a moeda que você quer trocar, o valor que deseja trocar e a moeda que deseja receber em troca. Em seguida, basta seguir as instruções na tela, onde você será solicitado a informar o endereço de destino, que é a carteira para onde deseja que suas novas moedas sejam enviadas. A Coinvertlly gerará um endereço de depósito exclusivo, onde você enviará as moedas das quais está trocando e, em alguns minutos, receberá suas novas moedas enviadas para sua carteira de destino. A Coinvertlly também oferece a possibilidade de comprar e vender criptomoedas usando seu cartão de crédito ou até mesmo Transferência Bancária Global (SEPA ou SWIFT). Visite Coinvertlly.com hoje e comece a negociar!

Tudo bem, de volta ao sistema do Bitcoin. Você pode estar se perguntando como o Bitcoin é minerado e como você pode confiar nele. Bem, em primeiro lugar, como mencionei, você não precisa confiar no Bitcoin, ele não usa confiança, o que significa que não precisa de confiança para ser autêntico. Um sistema livre de confiança significa que os participantes envolvidos não precisam conhecer ou confiar uns nos outros ou em terceiros para que o sistema funcione. Em um ambiente livre de confiança, não há uma entidade única que tenha autoridade sobre o sistema, e o consenso é alcançado sem que os participantes tenham que saber ou confiar em nada além do próprio sistema.

Para conseguir isso, o Bitcoin conta com o padrão de “Proof of Work” ou Prova de Trabalho, que emprega algoritmos matemáticos para confirmar transações sem usar uma autoridade centralizadora. Em vez de um centralizador, entra em jogo a blockchain, que é mantido pelos chamados mineradores de bitcoin. Os mineradores são basicamente computadores em todo o mundo que executam o código do Bitcoin e armazenam a blockchain.

Cada bloco da blockchain é como uma caixa cheia de transações. Todos os computadores que executam o blockchain têm a mesma lista de blocos e, portanto, a mesma lista de transações, armazenadas na mesma exata ordem. Toda vez que um novo conjunto de transações é adicionado a um novo bloco, todos esses computadores podem verificar as transações antes que o bloco seja gravado no blockchain por toda a eternidade. Se alguma das transações for considerada uma fraude, o bloco não será adicionado à rede. Desta forma, ninguém pode enganar o sistema. Discutiremos mais sobre como esse processo funciona mais adiante no vídeo.

Exemplo de livre de confiança

Voltando ao exemplo do Banco Imobiliário. Ana e Miguel aprenderam com sua última experiência não tão agradável, que João não é confiável. Mas eles também não podem concordar em confiar um no outro para serem os novos responsáveis ​​pelo livro-razão.

Assim, eles apresentam uma solução, em vez de um único livro-razão, todos eles terão sua própria cópia do livro-razão. E todas as transações serão registradas em todos os livros. Cada jogador cuidando de seu próprio livro.

Agora, quando Ana precisa pagar aluguel para Miguel, cada um dos jogadores escreve em seu livro: Ana paga a Miguel $15, e toda vez que isso é feito, eles verificam um ao outro, para garantir que nada foi adicionado sem o conhecimento de todos.

Nesse cenário, não há espaço para trapaças. Se João decidir escrever no seu livro que recebeu $150, este registo não existirá no livro de Ana ou Miguel, sendo assim eliminado do livro e não levado em consideração, como se nunca tivesse existido.

Você poderia argumentar que João e Miguel poderiam tentar mentir juntos e forçar Ana a adicionar uma nova linha ao seu livro, pois já existe no de João e de Miguel. Essa é uma possibilidade em um cenário com apenas 3 jogadores ou 3 mineradores. Mas essa não é a realidade do Bitcoin, onde para fazer algo assim alguém precisaria controlar 51% de todo o poder computacional do Bitcoin no mundo, o que é bastante improvável.

Mineração

No exemplo do Banco Imobiliário, acabei de dizer que João, Miguel e Ana trabalham como mineradores no Bitcoin. Bom, na forma de registrar as transações, sim, mas no nosso exemplo, não há recompensa, nada é realmente minerado. Então, vamos falar um pouco sobre o que é a mineração de bitcoin.

Mineração é o processo de criação de Bitcoin. O minerador precisa resolver problemas computacionalmente difíceis para descobrir novos blocos ou entradas no livro-razão e adicioná-los ao blockchain.

Ao resolver esses problemas, os mineradores recebem um recompensa em Bitcoin, Bitcoins que não existiam antes, e são criados por esse processo. Como um minerador de ouro que encontra ouro e o coloca no mercado, um minerador de Bitcoin encontra um novo bitcoin validando transações no blockchain e, assim, adicionando mais bitcoin ao mercado.

Mas como eles fazem isso? Como os mineradores mineram bitcoin?

Se você quiser se aprofundar em como a mineração de bitcoin realmente funciona, você pode conferir nosso vídeo sobre este tópico, onde abordamos as nuances desse assunto.

Mas para este vídeo, tudo o que você precisa entender é que o computador do minerador é chamado de nódulo, que coleta transações individuais de Bitcoin dos últimos dez minutos e as empacota em um bloco, que equivale a 1 megabyte de transações. O que isso significa é que cada minerador cria um bloco candidato com transações não confirmadas. Este bloco inclui um cabeçalho de bloco que, entre outras coisas, armazena:

• Um código que representa todas as transações nele contidas.

• Um código que aponta para o bloco anterior.

• Um valor alvo.

• E um nonce, que é um número usado apenas uma vez, já explico.

O código que representa o bloco é chamado de número de hash; um número hexadecimal de 64 dígitos gerado por um algoritmo de criptografia chamado SHA-256.

O que o computador do minerador precisa fazer agora é adivinhar o nonce que, quando adicionado ao número de hash do bloco, gerará um código igual ou menor ao valor alvo presente no cabeçalho do bloco.

O primeiro minerador a fazer isso, ganha a loteria do bitcoin, conseguindo o direito de adicionar um novo bloco à cadeia, e uma recompensa em bitcoin por adicionar o novo bloco.

Todos os outros validadores podem então verificar se o nonce encontrado realmente resolve o problema. Se isso acontecer, eles também propagarão o bloco em sua própria cópia do blockchain. Caso contrário, o bloco não será propagado e eventualmente será descartado, e será como se as transações nele nunca tivessem existido.

Todo esse processo na mineração de bitcoin é chamado de Proof of Work ou Prova de Trabalho. Requer muita energia do computador e tempo para encontrar o nonce que resolve o problema matemático e, portanto, o computador do minerador precisa trabalhar duro para encontrar essa solução e gravar o novo bloco na blockchain.

Encerramento

Então, você aprendeu que o Bitcoin é uma criptomoeda porque usa o algoritmo de criptografia SHA-256.

Que não usa confiança, porque você não precisa confiar em ninguém para fazer a coisa certa, porque o sistema é verificado por nódulos, também chamados de mineradores. E que qualquer um pode ser um minerador, agregando ainda mais segurança a blockchain.

Que é um sistema de Proof of Work, que demanda energia, tempo e poder de processamento computacional para validar a transação e manter a blockchain.

E que é descentralizado, que nenhuma autoridade central controla o bitcoin, que não pode ser parado ou hackeado e que nenhum player no mercado tem o poder unilateral de tomar qualquer decisão.

Muitos outros tópicos foram mencionados no vídeo que mal tocamos em sua superfície. Se você quiser entrar em mais detalhes sobre eles, verifique a lista de vídeos relacionados que deixamos na descrição. E sinta-se à vontade para comentar o que deseja ver aqui na Odisseia Crypto.

Se você gostou do vídeo, não esqueça de nos avisar clicando no botão de gostei e compartilhando sua opinião nos comentários. E se este vídeo foi útil para você, certamente será útil para seus amigos, compartilhe o vídeo e divulgue a palavra! Vejo você na próxima!

Continue lendo

Comentários